Trending News

Blog Post

Dicas de Leitura

Resenha: Avaliação Psicossocial: Psicologia Aplicada à Segurança no Trabalho

A obra Avaliação Psicológica: Psicologia Aplicada à Segurança no Trabalho foi publicado pela Vetor Editora no ano de 2018 e é de autoria da psicóloga Lúcia Simões Sebben.

Com o propósito de contemplar os aspectos que envolvem os riscos psicossociais em trabalhadores que atuam em funções de risco, no decorrer de 15 capítulos a autora revisa e introduz conceitos inerentes a esse tema.

Para contextualizar o leitor, Lúcia Sebbens inicia sua obra com um texto intitulado Preservação da vida passa a ter uma nova face nas organizações, que versa a respeito da publicação, no ano de 2006, da Norma Regulamentadora 33 (NR-33) pelo Ministério do Trabalho, pontuando quais as implicações resultantes dessa norma na vida dos trabalhadores e dos profissionais da psicologia.

Em seguida, no capítulo O ambiente como determinante no risco psicossocial, é possível compreender a influência do ambiente no comportamento e nas reações das pessoas. Além disso, questões como cultura organizacional e familiar são discutidas com o intuito de identificar como tais aspectos atuam na construção dos ambientes de trabalho.

Fique por Dentro

Cadastre-se para receber as novidades da Vetor Editora.

No segundo capítulo, Risco psicossocial e as NR-33 e NR-35, a autora discorre sobre o impacto que a avaliação psicossocial trouxe às organizações, sobretudo em decorrência da quebra de paradigmas importantes na gestão de pessoas.

Em “Valores e crenças”: a necessidade de resgatar o óbvio, Lúcia Sebbens encoraja o leitor a refletir sobre como o processo de autoconhecimento é essencial para que as pessoas possam assimilar seus valores e motivações, de modo que consigam superar adversidades e alcançar suas metas individuais e coletivas.

O quarto capítulo, Os campos de análise e compreensão dos riscos psicossociais, trata de quatro áreas fundamentais que devem ser consideradas para a compreensão de como o indivíduo enfrenta a realidade e de quais são suas condições para lidar consigo.

O capítulo seguinte, A questão do medo, proporciona uma reflexão a respeito do papel do medo no exercício das funções de risco. Ademais, a autora apresenta diferentes cenários e formas de trabalhar esse sentimento.

Em seguida, Lúcia Sebbens, no capítulo A percepção do risco, estabelece como se dá o processo perceptivo, identificando os aspectos que devem ser levados em conta na percepção, citando também as alterações que podem ocorrer nesse processo.

No sétimo capítulo, Homeostasia ou homeostase do risco, a autora conceitua esses termos, apresentando as características envolvidas na regulação interna e externa do organismo e versando sobre a busca por equilíbrio na sociedade.

Em “A importância das estratégias de coping”, a autora disserta a respeito da importância do preparo emocional e indica estratégias que podem ser utilizadas pelas pessoas para se adaptarem a circunstâncias adversas ou estressantes.

Posteriormente, no capítulo “Autoestima e sua importância para segurança”, a autora define o que é autoestima e elucida como essa concepção se relaciona com as atividades laborais. Ainda nesse capítulo, são indicadas alguns meios que podem auxiliar no desenvolvimento da autoestima positiva.

No décimo capítulo, Estresse como sintoma do risco psicossocial, Lúcia Sebbens auxilia o leitor acerca da compreensão do estresse ocupacional, apresentando as características que o compõe e indicando suas diferenças em relação à Síndrome de Burnout.

Em “Inteligência emocional”, o capítulo seguinte, são introduzidos os fundamentos teóricos dessa condição. Além disso, a autora inicia o leitor nos conceitos de savoring, cujo objetivo é possibilitar a potencialização de experiências positivas.

No capítulo “Lócus de controle”, Lúcia Sebbens define o que é construto e indica a forma pela qual ele se associa às expectativas dos indivíduos, impactando em seus resultados.

O décimo terceiro capítulo, Estudos, referências e pesquisas em Avaliação Psicossocial, trata da elaboração de um perfil atitudinal do uso de testes psicológicos e da pesquisa por referências relacionadas aos riscos psicossociais.

No penúltimo capítulo, “O resultado e suas implicações para o indivíduo e para a organização”, a autora aborda questões inerentes aos critérios para a definição do resultado final da avaliação.

E, por fim, no capítulo Cases de avaliados aptos e inaptos das regiões de São Paulo e Rio Grande do Sul, são descritos alguns casos reais de avaliação psicossocial. Além disso, aspectos relacionados aos laudos e pareceres, à metodologia e ao uso de testes são abordados.

Atualmente, a avaliação psicossocial figura entre os temas de maior interesse dos profissionais da psicologia, mas, ao mesmo tempo, a literatura carece de referências especializadas sobre o assunto. Nesse sentido, este livro tem como objetivo colaborar com a área, fornecendo informações que auxiliem a atuação dos profissionais.

Autor: Felipe Fernandes de Lima
Minicurrículo: Psicólogo formado pelo Centro Universitário Salesiano de São Paulo (Unisal/Americana), pós-graduado em Avaliação Psicológica pelo Instituto de Pós-Graduação e Graduação (IPOG) e mestrando em Saúde Mental pela Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP-USP). Atua como pesquisador na Vetor Editora Psicopedagógica, é responsável técnico pela plataforma Vittude e professor do IPOG.

Posts Relacionados

Deixe uma resposta

Campos obrigatórios estão marcados *