Trending News

Blog Post

Curiosidades | Psicologia

Resenha: Teste Bateria Psicológica de Avaliação da Atenção (BPA)

O construto da atenção é um fenômeno complexo e que possui taxonomias/definições diversas. Contudo, a avaliação da atenção é requerida em quase todos os contextos avaliativos, pois entende-se que alterações nesta capacidade pode ser um indicador tanto de questões cognitivas/neuropsicológicas, quanto de personalidade. Desta forma, escolher um instrumento que possua propriedades psicométricas adequadas para este fim, e que consiga ser aplicado de maneira eficaz e com tempo otimizado, é uma ferramenta poderosa para profissionais das diversas atuações na Psicologia.

Assim, a Bateria Psicológica de Avaliação da Atenção (BPA), de autoria do Prof. Dr. Fabián Javier Marín Rueda, publicada e comercializada pela Vetor Editora, é este tipo de material que faz a diferença para profissionais. A começar, este instrumento consegue avaliar três tipos distintos de atenção, sendo elas a atenção concentrada, atenção dividida e a atenção alternada. Vale ressaltar que ao aplicar a bateria, é possível obter um escore para o nível de atenção geral do indivíduo, por meio da soma dos resultados de cada teste.

Outros pontos positivos deste instrumento são o tipo de aplicação, que se utiliza de estímulos não verbais, e a faixa etária. Neste último, este instrumento está com normas aprovadas para aplicação em crianças (6 anos) a idosos (82 anos), ambos os sexos, além de contar com diferenças relativas à escolaridade. Isto se deve por se utilizar de estímulos não numéricos ou gráficos, mas por estímulos-alvos abstratos, para que o nível de escolaridade não funcione como um fator diferencial para o processo avaliativo.

Em termos de uso, a BPA pode ser utilizada em praticamente todos os contextos em que haja um(a) profissional da Psicologia. No contexto clínico, ela pode ser uma fonte de informação eficaz na investigação de casos de TDAH, Transtornos de Humor, capacidade cognitiva, além de possibilitar uma visão crítica, se o indivíduo consegue captar os estímulos do ambiente de maneira adequada – critério fundamental para realizar conclusões fidedignas do processo avaliativo. Em contextos mais compulsórios, como porte de arma de fogo, avaliações psicossociais e para contextos cirúrgicos, a avaliação da atenção é um construto obrigatório e o uso da BPA, pelas suas características já listadas, é capaz de realizar esta avaliação de maneira precisa e discriminativa, já que possui tabelas de normatização para diversas faixas etárias, gênero e escolaridade, além de possuir estudos com os mais diversos contextos culturais.

Por fim, é válido ressaltar que este é um instrumento privativo para profissionais da Psicologia, que devem ter inscrição ativa no Conselho Regional de Psicologia (CRP) de sua região. Ainda que seja facultado para todos os profissionais a licença para realização do processo de avaliação psicológica e, consequentemente, o uso dos instrumentos privativos, todo instrumento necessita de ser estudado minuciosamente. Ou seja, além de ser indispensável a leitura do manual, realizar cursos específicos sobre o instrumento bem como a leitura de artigos científicos e participação de congressos científicos são sempre recomendados para se extrair as informações de maneira ética e técnica e sempre atuais.

Fique por Dentro

Cadastre-se para receber as novidades da Vetor Editora.

Autor: João Paulo Araújo Lessa – CRP 15/3753

Minicurrículo: Especialista em Avaliação Psicológica – IPOG/SP, Mestre e Doutorando em Psicologia, com ênfase em Avaliação Psicológica – USF/SP.

Posts Relacionados

Deixe uma resposta

Campos obrigatórios estão marcados *