Trending News

Blog Post

Artigos

Cuidar da Saúde e bem-estar do aeronauta

por Solange Regina Signori Iamin

aeronauta

Saúde e bem-estar são conceitos de fundamental importância na vida do ser humano. Eles compõem a satisfação com a vida que se leva, as respostas cognitivas, emocionais e comportamentais que são emitidas nas relações consigo mesmo, com as pessoas, com o entorno, com o ambiente laboral, etc.

Levando isso em consideração, torna-se importante pensar nesse conceito abrangente no que tange à profissão do aeronauta. Pode-se pensar então que saúde e bem-estar incluem a saúde mental e física, ou seja, na saúde física será importante ter uma alimentação balanceada bem e desenvolver atividades que movimentem o corpo, como academia, corrida ou mesmo fazer caminhadas nas cidades onde pernoita após um voo.

No que diz respeito à saúde mental deve-se cuidar dos aspectos cognitivos (identificar se existem pensamentos catastróficos, ansiógenos ou depressivos), emocionais (identificar se há tristeza, insatisfação, raiva, medo) e sociais (identificar como está o ambiente familiar, as relações de amizade e as relações laborais) pois estes influenciam o desempenho, as capacidades e as habilidades de gestão de um voo.

Ao identificar essas questões o aeronauta estará promovendo seu cuidado integral, e assim, poderá aprender a gerenciar algum possível estresse que venha a acontecer, alguma sensação de ansiedade ou mesmo algum sintoma depressivo. Por isso é relevante atentar à fadiga e à sobrecarga de trabalho aprendendo a estar consciente da situação que vivencia diariamente.

Levando isso em consideração é preciso atentar aos diversos estressores aos quais eles são expostos no dia a dia. Vocês devem se lembrar do caso da Germanwings (acidente aéreo ocorrido em 2015 nos Alpes Franceses), em que o copiloto ceifou a vida de centenas de pessoas, jogando o avião nos Alpes.

Após esse acidente vários estudos (Wu, et al, 2017; Pasha e Stokes, 2018) abordando a saúde mental dos aeronautas foram realizados e em todos eles foram identificados níveis de ansiedade e depressão, e alguns referiam ideias suicidas.

Mas as notícias não são sempre ruins, pois, há também, estudos (Guo; Ji; You; e Huang, 2017) que identificaram que os pilotos que apresentavam uma boa inteligência emocional (capacidade de identificar suas emoções e as de outras pessoas, focando a solução de problemas, o controle das emoções, a empatia e os bons relacionamentos) e estratégias proativas de enfrentamento apresentavam menores níveis de ansiedade e depressão.

Comprar livro Saúde a bordo

Na vida de um aeronauta podem surgir vários fatores estressantes como voar com um tempo ruim, voar durante a noite, deslocar-se para aeroportos desconhecidos, voar com mudanças bruscas de temperatura, fazer viagens internacionais, passar por alguma emergência e ter de retornar ao destino da partida, fazer alguma aterrissagem de emergência, ter problemas em algum voo como a morte de um passageiro e ter de mudar a rota, ter algum passageiro que cause problemas dentro da aeronave e que ponha em risco a segurança do voo além de ter que trabalhar em equipe, fazer todos os exames médicos requeridos a cada x meses pela empresa aérea, como estar sempre distante do apoio familiar, muitas vezes não podendo acompanhar de perto o crescimento dos filhos, entre tantos outros.

Some-se a isso o fato de o ser humano não ter sido feito para voar, de modo que existem também os estressores relacionados ao ambiente físico do voo como a hipóxia, o disbarismo, os ruídos, a força de gravidade a fadiga e muitos outros. Todas essas questões podem afetar a saúde física e mental do aeronauta. Para manter-se saudável é preciso pensar no bem-estar físico emocional e espiritual.

Segundo a Organização mundial da saúde (2004) a Saúde “é um estado de completo bem-estar físico, mental e social e não apenas a ausência de doença”. Levando isso em consideração é preciso estar com suas necessidades em dia, ou seja, ter uma boa saúde física, ter a percepção de estar seguro, de ter amor e reconhecimento, de ter uma boa autoestima, bons relacionamentos familiares e sociais além da importância de desenvolver a sua espiritualidade.

Cabe aos locais de trabalho dessa população proporcionar um ambiente onde se possam verbalizar as necessidades e as dificuldades, trabalhando com foco na prevenção de fatores estressantes, bem como no desenvolvimento da inteligência emocional para poder dar conta e fazer os enfrentamentos necessários a qualquer situação que o demande.

Cabe também aos psicólogos, que atendem aeronautas dentro ou fora do contexto da aviação (empresas aéreas), ter conhecimento suficiente na área para poder dar conta de uma demanda que, por si só, impõe uma grande responsabilidade, pois aquele profissional volta aos ares para carregar centenas de pessoas a bordo de um avião e precisa estar com sua saúde mental em dia.

Cabe a nós, então, focar na qualidade de vida dessa população trabalhando o conhecimento de si mesmo, aprimorando as habilidades emocionais, cognitivas e comportamentais para fazer o enfrentamento das mais variadas situações que se apresentem no dia a dia com vistas a manter o bem-estar subjetivo de cada um e assim ajudar a promover a segurança das centenas de voos que decolam todos os dias.

Solange Regina Signori Iamin

Graduada pela Universidad de Belgrano Buenos Aires- AR. Mestre em Biotecnologia da Saúde da Criança e do Adolescente, Especialista em Atendimento Clínico e em Terapia Cognitivo-comportamental.

Mentora e desenvolvedora do programa “Eu voo sem medo” em parceria com a EPA Training Center-Curitiba-PR.

Autora dos livros “Mudando o caminho da ansiedade”; “Eu voo sem medo: um guia para vencer o medo de voar” da Editora Appris; “Manual de Acompanhamento Terapêutico: Contribuições teórico-práticas para a aplicabilidade clínica:” -Editora Santos ; Carl Rogers: Revisitando conceitos: Edição do Autor. Saúde a Bordo: Práticas de cuidados do Aeronauta da Vetor Editora – São Paulo.

Referencias

Guo, Y; Ji, M; You, X; e Huang, J. Protective effects of emotional intelligence

and proactive coping on civil pilots’ mental health. Aerosp Med Hum Perform. 2017; 88(9):858–865. doi: 10.3357/AMHP.4799.2017

Parsha, T., e Stokes, P. R. A. Reflecting on the Germanwings Disaster: A Systematic Review of Depression and Suicide in Commercial Airline Pilots. Front Psychiatry. 2018; 9: 86.  doi: 10.3389/fpsyt.2018.00086.

Organização Mundial da Saúde [OMS]. (2004). promoção da saúde mental: conceitos, evidências emergentes, prática. Relatório abreviado. Genebra: OMS.

Wu, A.C., Donnely-mclay, D., Weisskopf, M.G., Mcnelly, E., Betacourt., T.S., e Todosen, J.G. Correction to: Airplane pilot mental health and suicidal thoughts: a cross-sectional descriptive study via anonymous web-based survey. Environ Health. 2017 Nov 27;16(1):129. doi: 10.1186/s12940-017-0341-2.

Saúde a bordo

Saúde a bordo

Saúde a bordo: Práticas de cuidado do aeronauta.

Este livro apresenta temáticas relacionadas aos cuidados com a saúde física e mental dos aeronautas, bem como a integração de práticas de cuidado por meio da medicina aeroespacial, tradicional e complementar, psiquiatra, psicologia, nutrição, educação física.

Orienta a respeito da prevenção de doenças e dos tratamentos que possibilitam a melhoria da qualidade de vida, das relações sociais e familiares e da performance de um voo.

Posts relacionados

Deixe um comentário

Campos obrigatórios. *