Trending News

Blog Post

Dicas de Leitura

Neuropsicologia, mente e tecnologia – Homo on-line

por Bovenzo Filho

Neuropsicologia, mente e tecnologia - Homo on-line

Resenha de Homo on-line: instruções neuropsicológicas na era das redes sociais

No capítulo 1 – Introdução, o autor discorre sobre a submissão do homem à tecnologia, isto é, o quão, graças à aplicabilidade da psicologia por parte de engenheiros e programadores, o ser humano toma como combustível diário o seu aparato tecnológico, seja ele celular, notebook e afins. Após isso, Joaquim (2021) expõe brevemente a sua trajetória e, então, sintetiza brevemente quais assuntos tratará em seu trabalho, cuja condição basal é a curiosidade infindável pela mente humana e seus limites.

Ao adentrar no segundo capítulo – O cérebro que aprendeu a se antecipar, Joaquim (2021) traz a objetiva conceituação de mente, discorrendo posteriormente sobre a necessidade deste em sempre buscar e atribuir sentido à realidade. O autor evidencia, também, o modo como o cérebro opera em termos de processamento de informação e de adaptação: automático e controlado (controle executivo frontal).

Neste momento, fica claro que, diferente de máquinas e computadores, o cérebro humano escaneia as informações do ambiente, mas dispõe de vieses: custos das situações, articulando-se às emoções. Evidencia-se, neste capítulo, como o cérebro humano busca a antecipação diante de situações que podem ser ambíguas ou, quiçá, aversivas.

No terceiro capítulo – Quem somos nós?, o autor traz uma compreensão sobre a evolução dos seres humanos, de modo que proporcione ao leitor maior sustentação sobre o funcionamento da mente humana, a qual, por sua vez, fora moldada pela seleção natural ao longo da história da humanidade.

Em Evolução e Psicologia, quarto capítulo da obra, Joaquim (2021) resume a sua frase inicial, também enfaticamente dita em suas aulas: a “psicologia é uma expressão sofisticada e específica de complexas dimensões da biologia”, e, com isso, torna-se possível compreender o funcionamento da mente humana ao longo de seu processo evolutivo.

No quinto capítulo da obra – Um sistema biológico informacional, o autor prontamente traz uma definição de funcionamento cerebral como sistema de informação. Neste momento, Joaquim (2021) discorre sobre as habilidades de o ser humano, diante de alguma situação específica, ser capaz de selecionar comportamentos específicos para tal, ou, então, antecipar situações por meio de probabilidades, para, assim, se preservar.

O sexto capítulo – Homeostasia e funcionamento mental estabelece uma continuidade sutil com o anterior, uma vez que trata a questão de preservação por meio do funcionamento homeostático do ser humano, e as artimanhas comportamentais, e, então, neurofisiológicas para tal processo.

Com um título que chama a atenção do leitor, o sétimo capítulo – A mente não adoece o corpo, Joaquim (2021) coloca em pauta uma premissa bastante difundida, inclusive, ao longo da formação em psicologia. Neste momento, o autor estabelece compreensões que viabilizam seu pensamento sobre o fato de a mente adoecer com o corpo, e não ser responsável pelo adoecimento deste último.

Em O cérebro e a plasticidade, Joaquim (2021) discorre sobre a neuroplasticidade, percorrendo por dados históricos e importantes trabalhos sobre o assunto. Posteriormente, o leitor encontrará um tópico que explica os efeitos das mídias e redes sociais nos processos mentais dos indivíduos, tópico este indispensável para uma compreensão atual da constante díade da vida: tecnologia e comportamento humano.

Já no nono capítulo – Emoções e expressão facial da emoção, o autor traz uma perspectiva geral sobre as concepções de emoções e sua expressão no corpo. Posteriormente, enfatizando as expressões faciais e aspectos emocionais, Joaquim (2021) expõe as principais emoções (medo, raiva, tristeza, alegria e nojo) com ilustrações sobre a manifestação destas no rosto humano.

Em Tecnologia e personalidade, Joaquim (2021) mostra a relação entre a atual desenvoltura dos meios tecnológicos (como redes sociais, smartphones) e sua influência em termos de algoritmos e programação que agem de acordo com o perfil de personalidade daquele que usufrui destes meios, caracterizando serventias saudáveis ou não da tecnologia. Para isso, o autor percorre, de forma objetiva, por algumas teorias de personalidade, entre elas, a teoria dos Cinco grandes fatores.

No capítulo 11 – Tecnologia persuasiva, Joaquim (2021) expõe ao leitor algumas maneiras como a tecnologia é utilizada para alterar comportamentos humanos. Para isso, são trazidas algumas técnicas (redução, sugestão, apelo etc.), bem como a compreensão sobre o cerne: MHG – Motivação, Habilidade e Gatilho.

Em Manipulação, fake news e operações psicológicas, o autor discute como, hoje, as pessoas são atingidas, manipuladas e fraudadas pela tecnologia, por exemplo, as bastante discutidas fake news, ou então o uso de dados sem a autorização do usuário.

Por fim, no capítulo final da obra – Proteja-se: orientações de uso saudável de redes sociais, o autor, prezando pela saúde coletiva, expõe algumas dicas de como o usuário pode fazer uso saudável da tecnologia, respaldando a importância de tais itens em uma experiência pessoal.

 

Bovenzo Filho

Psicólogo graduado pela Universidade de Guarulhos (UnG). Pós-Graduando em Psicologia Jurídica pelo Instituto de Pós-graduação e Graduação (IPOG). Colaborador do departamento de Pesquisa da Vetor Editora. Psicólogo clínico.

Técnico pesquisador no Núcleo de Pesquisa em Violência – Psicologia Jurídica (NUPEV-PJ) e Núcleo de Estudos e Pesquisa em Neurociência, Saúde e Educação (NEPSI-UnG).

 

O que achou do Livro? Deixe seu comentário e visite a página Homo on-line para adquirir seu exemplar.

Livro Homo On-lineAutor: Rui Mateus Joaquim
Categoria: Neuropsicologia / Psicologia Geral
ISBN: 9786589914020
Formato: 16×30 cm
Páginas: 148
Ano: 2021
Edição: 1ª Edição
Editora: Vetor Editor

Da pedra lascada aos algoritmos computacionais, a humanidade tem desenvolvido ferramentas capazes de garantir sua sobrevivência e adaptação. No entanto, o desenvolvimento da tecnologia tem apontado seu alvo para nossos cérebros, cooptando nossa atenção e controlando nosso comportamento por meio de psicologia aplicada no desenvolvimento de plataformas digitais e tecnologias persuasivas.

A compreensão neuropsicológica de como a mente funciona aplicada ao desenvolvimento das redes sociais têm influenciado diretamente no comportamento de milhares de pessoas, impactando suas escolhas e saúde mental. Esta obra busca elucidar como isso é possível por meio das mais recentes descobertas da ciência psicológica.

Posts relacionados

Deixe um comentário

Campos obrigatórios. *