Trending News

Blog Post

Psicologia das Organizações e do Trabalho: Entrevista
Entrevistas

Psicologia das Organizações e do Trabalho: Entrevista

Psicologia das Organizações e do Trabalho, entrevista com a psicóloga Andresa Darosci Silva Ribeiro.

 

1. Qual a importância da Psicologia das Organizações e do Trabalho?

O trabalho ocupa um espaço significativo na sociedade em que vivemos. O campo de estudo na Psicologia dentro das Organizações de Trabalho, portanto, se torna relevante ao entender os fenômenos que ocorrem no âmbito laboral dada a centralidade das organizações na vida dos seres humanos.

Quando o psicólogo assume as organizações como objeto de estudo científico, por exemplo, pode compreender qual a importância dos processos de gestão de pessoas e como impacta na felicidade, satisfação e realização do trabalhador. Dessa forma, para se compreender de forma integral o ser humano, faz-se também necessário entender sua inserção no mundo do trabalho e as relações que são estabelecidas dentro das organizações em que se insere.

 

2. Fale um pouco sobre as características do trabalho de um psicólogo organizacional, como é o dia a dia na relação com a empresa e os funcionários/candidatos?

O que se pode considerar como atividades e característica para quem atua como psicólogo organizacional são processos mais tradicionais e clássicos localizados na gestão de pessoas que envolvem diagnóstico de cultura e clima organizacional, mensuração de rotatividade, absenteísmo e retorno de investimento, processos de recrutamento e seleção, plano de cargos e salários, desenvolvimento de pessoal, socialização de pessoal, condições e higiene no trabalho, saúde do trabalhador, desligamento de pessoal, promoção e encarreiramento, feedback, avaliação desempenho, entre outros.

logo

Fique por Dentro

Cadastre-se para receber as novidades da Vetor Editora.

Vale ressaltar que as atividades desempenhadas pelo psicólogo organizacional não devem ser consideradas isoladas, pelo contrário se relacionam uma com as outras e potencializam resultados. No que se refere à saúde do trabalhador, um movimento atual com foco em pesquisas sobre satisfação, bem-estar, engajamento e felicidade no trabalho são desenvolvidos pela psicologia positiva. Esta subárea do conhecimento está centrada no “olhar positivo para o ser humano com base em suas virtudes e fortalezas.

 

3. Você utiliza de alguma abordagem psicológica específica? Se sim, poderia nos falar sobre como ela o auxilia e atende as demandas do seu trabalho?

A minha atuação de trabalho é orientada com base na psicologia humanista e a cognitiva, que aliadas ao construcionismo social (interacionismo simbólico) se tornaram fundamentais à psicologia positiva como pilares teóricos básicos.

O humanismo, em sua raiz, significa tudo aquilo que se volta para o humano, ou seja, o sentimento que prevalece entre os psicólogos humanistas é uma visão de ser humano que é capaz de autorrealizar-se e autoatualizar-se, com capacidade de agir no mundo a partir de seus princípios pessoais, que, em si mesmo, geram sua subjetividade.

Diante disto, diferente do que a maioria dos psicólogos organizacionais tem adotado tradicionalmente, que é o de optar por uma estratégia reativa baseada na busca da soluções de problemas, nos pressupostos básicos praticados pela psicologia positiva, está uma visão otimista da natureza humana, por meio da qual o propósito é o de construir conhecimentos vinculados às relações entre sentimentos positivos, qualidade de vida, bem-estar e felicidade humana.

 

4. Quais são as principais dificuldades que um psicólogo organizacional encontra hoje na sua atuação?

Uma das dificuldades está em mudança de mindset dos gestores e CEO’s com padrões tradicionais de gestão. Isto se dá, pois ainda valorizam os resultados antes de pensar no ser humano. Diferente das perspectivas que atribuem conotações negativas ao trabalho, tem aquelas que o consideram como fonte de satisfação e de autorrealização, porque o caracterizam como essencial para a construção do ser humano e de seu propósito de vida.

Desse modo, o interesse nas pesquisas que visam o polo positivo tem crescido nas últimas décadas, mesmo que os fatores que atuam de forma negativa sejam recorrentes com ênfase sobre os aspectos de insatisfação e patologias.

Com o avanço científico das pesquisas em psicologia positiva a partir do final da década de 1990, houve um aumento do interesse, no lado positivo da vida organizacional, ao se prestar atenção nos fenômenos como felicidade, bem-estar, satisfação no trabalho e experiências positivas nele. Então, esta visão contrapõe o que por décadas se pesquisou sobre os aspectos patológicos do ser humano, em detrimento das suas virtudes, qualidades e potencialidades.

Boa parte dos argumentos para justificar a importância do trabalho o psicólogo organizacional está sobre o quanto as organizações perdem em lucratividade quando não cuidam do bem-estar dos trabalhadores. As pesquisas científicas contribuem para os argumentos como previsto pela ONU e OMS ao advertirem que em 2020 a depressão será o maior motivo de afastamento do trabalho no mundo. O prejuízo à “produtividade” calculado pela OMS é de US$ 1 trilhão por ano.

O transtorno mental foi a 3ª causa de afastamento no trabalho (Dados do Ministério da Saúde, 2017; Boletim sobre Benefícios por Incapacidade – Ministério da Fazenda, 2017). Estudos indicam que felicidade, “produtividade” e rentabilidade dão lucro, podendo beneficiar os trabalhadores e as organizações (Fernandes, 2015) e ainda trabalhadores felizes são os mais “produtivos” (Wright; Cropanzano, 2000).

 

5. Quais são os tipos de consultorias possíveis em psicologia organizacional?

Nas organizações que valorizam o trabalho do psicólogo, este profissional passa a contribuir para decisões em nível estratégico. O psicólogo presta, portanto, um trabalho de assessoria ou consultoria integrada aos demais processos internos e externos ao acompanhar de maneira quantitativa e qualitativa as transformações ocorridas para tomada de decisão.

Assim, com o avanço tecnológico, o People Analytics é um processo de coleta, organização e análise de dados sobre o comportamento dos colaboradores, antecipando tendências e aprimorando a estratégia. Isto, portanto, se torna relevante para entender o que contribui para o engajamento, performance e felicidade do trabalhador.

 

6. Você acredita ser possível potencializar a psicologia organizacional e do trabalho nas empresas? Se sim, de que forma?

Com certeza. Criar ambientes saudáveis e propiciadores de crescimento individual e da equipe para um adequado funcionamento organizacional possibilita ao psicólogo organizacional atuar junto aos trabalhadores e gestores para o estabelecimento de políticas e práticas coerentes aos valores organizacionais. Identificar o que contribui para o bem-estar do trabalhador e traçar estratégias e práticas para que sejam concretizadas.

Avaliar Psicologia

Se ainda tiver um tempinho, dê uma espiadinha em mais algumas Entrevistas!

Posts relacionados

Deixe uma resposta

Campos obrigatórios. *